terça-feira, 11 de março de 2008

Guardiã da(s) História(s)

Fabrício Veloso e Lívia Murta

Liberdade é o que ela sente dentro do Palácio. Um local imponente que para nós é símbolo de luxo e poder, para Maria da Conceição Piló é apenas seu ambiente de trabalho. Depois de dedicar ali 28 anos de sua vida profissional, a curadora se sente praticamente em casa nas horas em que passa na sede do governo de Minas Gerais. Talvez seja esse o motivo de sua indignação e de seus vários pedidos de desculpas diante da burocracia enfrentada para que pudéssemos entrevistá-la. “Vou falar com o governador. Sempre tive muita liberdade aqui. Não estou acostumada com isso, é um absurdo”, diz.

2 Comentários:

Blogger RaFaeLa Leal de disse...

A diplomacia é um saco! Imaginem quantas histórias legais a perfilada de vcs não deixou de nos contar!!! hunf!

16 de março de 2008 21:09  
Blogger Geane Alzamora disse...

Ei meninos,
vocês organizaram um bom material, parabéns! Destaque para o uso adequado dos links. Acho que o texto precisaria ser um pouco mais leve, identificando precisamente o diferencial da perfilada. Observem a entrevista ping-pong (as perguntas devem ser planejadas pensando no diferencial que se busca, não pode ser, simplesmente, 'um microfone aberto').
Geane

4 de abril de 2008 17:43  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial